Última vez

Postado em: 7 de julho de 2017

Ele tocava antes do sol.

Não eram todos os dias, mas, quando precisava percorrer grandes distâncias e chegar junto com o astro rei ao seu lugar de destino, era assim que acontecia.

Ele ouviu a musiquinha irrequieta e insistente.

Foi a última vez.

Levantou a tempo de cumprir todas as atividades matinais antes que seu amigo chegasse.

Aquele ritual tão particular que cada um tem o seu, mas todos fazem basicamente as mesmas coisas: banheiro, cozinha, guarda-roupa, celular…

Cumpriu tudo e, quando o amigo motorista avisou que já estava chegando, juntou suas coisas e saiu todo arrumado, perfumado, bonitão.

Foi a última vez.

No carro conversou, contou piada, ouviu os planos para a próxima semana do seu amigo, contou os seus.

Falou dos filhos, da namorada, das férias que já estavam agendadas e completamente programadas, das contas pagas, cursos que estavam prestes a ser concluídos.

Dois segundos depois da hora fechada, enviou mensagem a um amigo, marcando um compromisso para o dia seguinte, quando estaria de volta à cidade.

Lá fora o vento cantava uma sinfonia digna do inverno no cerrado: alta, potente, quase ensurdecedora. Ainda tinha muita estrada pra rodar, faltava muito para o sol chegar. Ele resolveu reclinar, cochilar, dormir um pouco.

Foi a última vez.

O motorista virou piloto e que já era tempo da máquina que controlava dar tudo de si, por isso acelerou, acelerou, acelerou…

Mas o vento quis participar e tirou do chão quem sabia aonde chegar.

Girou, rodou, bateu, parou.

Um desmontou, quebrou.

O outro não mais acordou.

Foi a última vez.

 

 

1 Response to "Última vez"

Lindo, real e tocante!!!
Adorei, parabéns pelo talento ao descrever a nossa rotina com tamanha sensatez…
elaine.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicações

julho 2017
D S T Q Q S S
« jun    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivo