Escolhendo ter ou não ter

Postado em: 12 de novembro de 2017

Não é a primeira vez em que estou quietinha no meu canto e Ela vem querendo me apresentar “um cara muito especial.”

Fala do moço como se fosse a coisa mais maravilhosa do mundo, a última bolacha do pacote, a derradeira gota d’agua no deserto.

Eu vou conhecer toda empolgada, acreditando na propaganda de que a criatura faz, e quebro a cara.

Não foi uma nem duas vezes que isso aconteceu.

Agora não, violão.

Tô fora!

Ela ligou hoje toda empolgada e eu, pela primeira vez, disse não!

Não, sai pra lá, não quero conhecer mais ninguém com indicação, armação, essas coisas encomendadas.

Toda vez em que acredito em indicações, me dou mal.

Cada vez em que um amigo arma um encontro, faz “aquela” propaganda e eu acredito, a decepção é tão grande, mas tão grande que prefiro nem mais tentar.

E a indignação da moça?

“É por isso que você está sozinha. Por isso que vai ficar para sempre encalhada.”

Hein?

Como assim?

Quem disse que estou sozinha?

E eu sou encalhada? Nunca fui, não vou ser agora.

Não tenho namorado, é certo, mas isso não quer dizer que esteja sozinha.

Tenho um monte de amigos, todas as vezes em que quero sair ou viajar, tenho companhia e, se acontece de não ter, eu sou uma excelente companhia para mim.

Apesar de estar há um tempo considerável sem namorado, nunca estive tão bem.

Sei que essa frase é bem clichê, mas te juro, estou falando a verdade: nunca estive tão feliz.

Conhecer alguém agora, ainda mais do tipo que me tem aparecido ultimamente, seria um atraso de vida.

Quero não.

Olha a moça telefonando outra vez:

– Oi, flor. Fala.

– Certeza, gata. Não quero conhecer seu amigo, de verdade.

– Muito obrigada por pensar em mim, mas vou passar a vez, tá?

– Não, amiga. Não estou ficando metida nem esnobe. Só não estou a fim de conhecer ninguém. Fazia muito tempo que eu não ficava tão feliz solteira, por isso, te agradeço. Mas vem cá, por que você não o namora?

– Não, ninguém nessa vida namora inimigo, meu amor. O moço é tão boa gente, já é seu amigo, vai lá e faça bom proveito.

– Então tá bom. Já que você vai ficar com raiva de mim porque eu consigo ser feliz sozinha, tchau!

Tum-tum-tum.

E foi assim que perdi a amiga que mais se empenhava em me arrumar um namorado, casamento.

E foi assim que eu aprendi a contar ao mundo que é melhor estar só que mal acompanhada.

 

 

 

2 Responses to "Escolhendo ter ou não ter"

Oi procuro uma namorada urgente, mas tambem não quero decepcionar ninguém, não sou nenhum Brady Pitty e nem Tom Cruise se é assim que se escreve. mas quero uma pessoa séria pra relacionamento sério. meu email é huguedes@yahoo.com.br tenho certeza que essa moça não ira decepcionar. Bjs.

Oi, Hudson.
A moça do texto é fruto da minha imaginação, infelizmente.
Espero que vc consiga logo uma namorada.
Abraço,
Vivi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicações

novembro 2017
D S T Q Q S S
« out   dez »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Arquivo